Criança com diarreia com sangue: Cuidados necessários na diarreia com sangue e na diarreia constante

O que fazer na crise de diarreia com sangue ou na diarreia constante ou na diarreia aguda:

Os sintomas de diarreia e diarreia constante ou diarreia aguda são sinais de que nosso organismo está reagindo por conta de uma infecção intestinal, vírus, bactérias ou fungos que estão invadindo e prejudicando nosso metabolismo.

Estes sinais não devem ser somente combatidos, ou seja, não se deve somente cessar a diarreia, pois nosso organismo está avisando que algo não está bem e precisamos avaliar e descobrir as razões que levaram a isto.

No caso da diarreia constante ou diarreia com sangue alguns cuidados devem ser tomados para controle a avaliação da doença.

A mãe deve ser orientada para avaliar a criança procurando os seguintes sinais clínicos de piora:

 A criança Não consegue beber nem mamar no peito;

 Ocorre Piora do estado geral do bebê ou da criança;

 Ocorre Diminuição da diurese;

 A criança apresenta Sede aumentada;

 Pode ser observado Sangue nas fezes.

Com o surgimento de qualquer um destes sinais a criança deverá ser  reavaliada urgentemente pelo médico ou profissional habilitado para um diagnóstico mais apurado e para as medidas necessárias de combate e identificação do foco de origem.

É importante ainda ressaltar que:

 Criança com sinais de desidratação sem risco imediato de choque.

A reidratação oral com SRO é o tratamento de escolha para estas crianças. Não devem  ser usados refrigerantes, chás ou outros líquidos ou alimentos até o desaparecimento dos sinais de desidratação, com exceção dos lactentes alimentados ao seio, que deverão continuar a receber esse alimento junto com a SRO. Esta fase de reidratação deverá ser realizada no Serviço de Saúde e a criança só deve ser liberada para domicilio após desaparecimento dos sinais de desidratação. Para que se alcance sucesso na reidratação (que ocorre em cerca de 80 a 85% das vezes), a criança deve ser hidratada por cerca de 4 a 5 horas. Algumas orientações devem ser observadas:

 A quantidade de SRO ingerida dependerá mais da criança. Como parâmetro inicial, oferecer cerca de 20 a 30 ml para Kg/hora, em volumes pequenos de cada vez, com intervalos de ingestão de cerca de 10 a 15 minutos;

 Se a criança vomitar, o volume administrado deve ser reduzido, e a freqüência de administração aumentada;

 Como os sinais de desidratação desaparecem progressivamente, as crianças devem ser reavaliadas periodicamente (no mínimo a cada hora);

 Ao desaparecerem os sinais de desidratação, iniciar alimentação naquelas crianças que não fazem uso de leite humano. A partir daí, após cada evacuação líquida, oferecer SRO (de 50 a 200 ml, dependendo do peso da criança);

 O aleitamento ao seio deverá ser mantido e estimulado durante o período de reidratação, com medidas concretas de apoio à mãe;

 Para as crianças que recebem outros alimentos, que não o leite humano, enfatizar a importância de maior aporte calórico durante o  período de convalescência, para acelerar a recuperação nutricional;

 A criança deve ser reavaliada no Serviço de Saúde após 24 hs da alta. A família deve ser  orientada para sinais que indiquem recaída do quadro clinico:  sede intensa, vômitos, piora da diarréia, irritabilidade, prostração ou diminuição da diurese. Nestes casos, orientar para  oferecer SRO à criança e procurar imediatamente o Serviço de Saúde.

 

No responses yet

Diarreia com sangue e infecção intestinal: Infecção intestinal e diarreia com sangue provocada pela bactéria Shigelose

Infecções intestinais e diarreia com sangue provocada por Shigela ou Shigelose

Os sintomas de infecção intestinal e diarreia constante podem ter diversas origens e causam grande desgaste no organismo.

Algumas dos sintomas de diarreia também incluem a diarreia com sangue ou diarreia liquida com mucosa sangrenta.

Estes sintomas podem ter origem por infecções intestinais causadas por bactérias ou fungos que desestabilizam o organismo.

A bactéria Shigela atua  no organismo provocando inflamação da mucosa intestinal, atacando o intestino delgado. Este tipo de diarreia e infecção intestinal é muito comum e são relatados inúmeros casos no Brasil e no mundo com esta doença.

As crianças pequenas são as que possuem maior risco de contrair esta infecção intestinal, pois s bactéria shigelose é transmitida através das fezes ou evacuações.

Esta doença de infecção intestinal provocada por shigelose pode produzir complicações em crianças muito pequenas, incluindo até convulsões, além da perda metabólica, desnutrição e desidratação.

Os sintomas da shigelose incluem diarréia (às vezes com sangue ou muco ), febre, vômitos, náuseas e cólicas abdominais. A maioria das pessoas se recupera sem tratamento, geralmente dentro de uma semana, embora os médicos possam prescrever antibióticos para pacientes para manter a recuperação orgânica e para evitar que a doença se espalhe.

Outros casos de diarreia com sangue e infecção intestinal podem ser provocados por outras bactérias e fungos, bem como por intoxicação alimentar e vírus que atacam o organismo.

Voce pode ver mais casos de doenças que atacam o intestino e outras causas da diarreia, diarreia constante, diarreia intestinal e infecção intestinal acessando os links desta página ou clicando na categoria diarreia ou infecção intestinal neste site.

 

No responses yet

Diarreia causada por infecção intestinal devido à contaminação por Campilo bactéria

Diarréia por infecção intestinal causada por Campilobacteria: Campilobacteriose

A infecção intestinal mais comum em pessoas que apresentam diarreia constante é causada por uma bactéria denominada campilo bactéria. A infecção intestinal por essa bactéria é chamada de campilobacteriose.

Os sintomas de diarreia constante e de febre intestinal causada pela campilobacteriose é o tipo mais comum de diarreia na América.

Mais do que 90% dos casos de diarreia e diarreia constante são causadas por esta bactéria e estima-se que mais de 2 milhões de pessoas, ou quase 1% da população americana tem contato e infecção por esta bactéria a cada ano.

Campilobacteria vive em animais, especialmente em  aves. Os humanos são infectados após a ingestão de aves que não tenham sido bem cozidas.

Alguns surtos de diarreia também já surgiram após a contaminação desta bactéria em água contaminada ou leite não pasteurizado.

Os sintomas da doença começam 2 a 5 dias após a infecção e incluem diarréia (muitas vezes com sangue), cólicas e dor abdominal e febre. A maioria das pessoas recuperam-se sem maiores problemas dentro de 2 a 5 dias.

Outras causas da diarreia e da infecção intestinal causadas por bactérias e fungos podem ser encontradas e estudadas acessando-se os links desta página ou a categoria infecção intestinal e diarreia neste site.

 

No responses yet

As consequências da diarreia: Diarréia e Infecção Intestinal – O que fazer quando está com o intestino solto

Os sintomas de intestino solto ou diarreia constante e diarreia crônica é uma situação que informa que algo não está agindo bem em nosso organismo.

A diarreia constante ou a infecção intestinal são sinais metabólicos de mal funcionamento, intoxicação ou reação a componentes ou agentes infecciosos que precisam ser considerados de forma séria, pois as consequências podem debilitar severamente nosso organismo.

Se levarmos ainda em conta que a maior parcela de doentes nesta situação, especialmente adultos, busca adotar medidas caseiras ou mesmo só observação, na expectativa da resolução deste quadro, torna-se possível imaginar a grandiosidade do problema, particularmente em países como o nosso (e comunidades como a do CEPAS), em que os conceitos de higiene e cuidados com alimentos e água estão muito longe dos índices mínimos de qualidade preconizados  pelas organizações de Saúde.

A má higienização e a pouca preocupação na preparação e cozimento de muitos alimentos fazem com que a pessoa fique sujeita a parasitas e outros vermes que irão agir de forma maligna em nosso sistema digestivo.

Conseqüentemente, as populações de idades extremas,  crianças e idosos imunologicamente despreparados, estarão mais  suscetíveis de contraírem e sofrerem complicações decorrentes de infecções digestivas, as quais contribuem, lamentavelmente, para o aumento nas taxas de mortalidade daquelas faixas etárias.

Os patógenos entéricos se encontram distribuídos por todo o mundo, podendo-se esperar algumas prevalências conforme localização geográfica (ao se considerar países desenvolvidos ou não), tendo nos seres humanos seus maiores reservatórios, quer na condição de doentes, quer na de meros portadores assintomáticos. Vale ressaltar que animais caseiros são pequenas fontes de algumas transmissões.

Desta forma, a grande via de contaminação é a  fecal-oral, por  contato direto, o que ocorre em  ambientes coletivos, como  escolas, casas de idosos e piscinas,  ou por meio de alimentos, ou água contaminados,  seja por  inadequada limpeza,  métodos de purificação e manipulação, ou ainda por falha no acondicionamento apropriado, o que acontece em estabelecimentos fornecedores de alimentos. Outra via de transmissão reconhecida é a determinada por  contatos sexuais (sexo anal seguido de oral, como um dos exemplos).

Os vários agentes infecciosos, por si só, promovem diferentes comportamentos clínicos, desde os de apresentação benigna ou oligossintomática, até formas graves de desidratação etoxemia, igualmente com períodos distintos de incubação, que podem ser de horas ou dias. Os adultos sadios tendem a evoluir, diante da maioria das infecções, com quadros pouco comprometedores e em geral espontaneamente contornáveis, eventualmente necessitando de medicação sintomática e mais raramente de tratamento específico.  As manifestações clínicas principais regridem sem complicações em  3 a 5 dias, sem que os doentes interrompam suas atividades ou procurem alguma orientação médica.

Em poucos casos os sintomas se arrastam por maior tempo, trazendo preocupações e desconforto, as quais sugerem a necessidade de abordagem medicamentosa, que deve se basear principalmente nos achados clínicos e, caso necessário, nos exames complementares, que serão solicitados de acordo com a interpretação epidemiológica e clínica. As características das evacuações podem vir a sugerir o modelo e localização da infecção e sua provável evolução.

Veja neste site as principais consequências da diarreia adulto e da diarreia infantil, nem como as causas mais frequentes de infecção intestinal acessando estas categorias no site ou clicando nos links desta página.

 

2 responses so far

Diarréia crônica e diarreia constante provocada pela doença de obstrução intestinal crônica

Os sintomas desta doença ocorre principalmente com dor intestinal intensa, cólicas intestinais e diarréia constante

A doença denominada Pseudo-obstrução intestinal Crônica, definidas pelas letras (CIPO) é um distúrbio intestinal que provoca alterações intestinais que geram a diarreia crônica, intensa dor abdominal, vomitos, nauseas.

Esta doença é uma desordem da motilidade gastrointestinal rara caracterizada por episódios recorrentes que se assemelham obstrução mecânica, na ausência de orgânicos, desordens sistémicas, ou metabólica, e sem qualquer obstrução física a ser detectada por raios-X ou durante a cirurgia.

A doença de obstrução intestinal crônica CIPO desenvolve predominantemente em crianças e pode estar presente ao nascimento. A relação homem-mulher é cerca de 1,5:1 a 4:1.

A prevalência permanece desconhecida. Os pacientes geralmente apresentam sintomas graves “obstrutivas” crônica: dor abdominal, distensão / plenitude, náuseas / vómitos, diarreia e / ou constipação intratável, má absorção de nutrientes levando à perda de peso e / ou retardo no crescimento.

As alterações laboratoriais geralmente refletem o grau de má absorção e desnutrição. Os achados radiológicos incluem geralmente íleo paralítico ou sinais de obstrução clínica aparente com alças dilatadas do intestino. As regiões do intestino afetado pode ser isolado (envolvimento do intestino delgado é o mais típico) ou difusos, e às vezes musculatura viscera, tal como a bexiga urinária, está envolvido.

A etiologia ainda é desconhecida. Desorganização ou falta de contratilidade da musculatura lisa, resultando em movimentos peristálticos desordenadas ou aperistalsis, representa a principal disfunção fisiopatológica. Alguns autores dividem em categorias CIPO miopáticos e neuropática.

 

No responses yet

Doença intestinal que provoca diarreia crônica, dor abdominal, náuseas e doenças musculares

Os sintomas de diarreia crônica ou diarreia constante associado a náuseas, dor abdominal, dor muscular com grau elevado pode ser sinais de uma doença denominada Pseudo-obstrução intestinal Crônica definida pelas letras CIPO

A doença CIPO pode ser uma desordem primária ou secundária devido a doenças musculares, metabólicas, neurológicas e endócrinas. Também ocorre pos infecção no pós-operatório, ou pode ser causada por radiação abdominal, drogas ou nocividades.

O diagnóstico clínico deve ser confirmado por uma combinação de estudos manométricos gastrointestinais, medições de tempo de trânsito, achados radiológicos (intestino dilatado com níveis líquidos) e exame histológico de uma espessura total de biópsia do intestino afetada.

Se a doença intestinal obstrutiva crônica  CIPO é por suspeita de obstrução mecânica deve ser cuidadosamente excluídos por exames radiológicos e endoscópicos. O Manejo requer uma abordagem multidisciplinar (gastroenterologista pediátrico, especialista em gerenciamento de dor, psicólogo) e depende da causa da doença, da extensão e localização do intestino envolvido, e da gravidade dos sintomas.

As medidas gerais incluem mudanças dietéticas (suporte nutricional para prevenir a desnutrição por via oral e / ou nutrição enteral), agentes pró-cinéticos (metoclopramida, cisaprida), tratamento de complicações como crescimento excessivo de bactérias e dor intensa, e procedimentos cirúrgicos específicos.

O papel potencial do tratamento operatório da CIPO é controverso; laparotomias desnecessárias devem ser rigorosamente evitados, pois podem levar a aderências e marcadamente complicar o curso clínico. Cirurgia em CIPO é indicado para o acesso vascular, a biópsia intestinal, e cirurgia paliativa, incluindo enterectomia total, enterostomia ventilação, duodenojejunostomia e duodenoplastia.

Recentemente, o transplante intestinal tornou-se uma opção terapêutica para crianças com doença grave refratária que são dependentes de nutrição parenteral total (TNP), e em quem TNP gestão está falhando.

Doença obstrutiva intestinal crônica Cipó é uma doença grave, muitas vezes não reconhecida caracterizada pela desativação e potencialmente fatais complicações ao longo do tempo. O Tratamento e resultados a longo prazo são frequentemente insatisfatórios.

Veja mais sobre infecção intestinal, diarréia, diarréia constante, cólicas intestinais, acesse estas categorias no site ou clique nos links deste post.

No responses yet

Diarréia constante e Urina Escura: Sintomas combinados com fadiga extrema, dores musculares e anemia

Urina Escura e diarréia constante – Sintomas combinados com fadiga excessiva, dor nas costas, fraqueza nas pernas, dor de cabeça e anemia

A combinação de alguns sintomas como urina escura, diarreia constante, dor nas costas, fadiga extrema e dor de cabeça, pode indicar uma doença metabólica com consequências mais sérias do que simplesmente tomar analgésico e aguardar melhora sem medicação.

Uma das doemças que podem provocar este acúmulo de sintomas pode ser a Doença aglutinina a frio que é um tipo de anemia hemolítica auto-imune (ver este termo) definida pela presença de auto-anticorpos a frio (auto-anticorpos que são ativos a temperaturas inferiores a 30 °.

A Doença por aglutininas a frio representa um 16-32% estimado de AHAI, cuja incidência anual é estimada entre 1/35 ,000-1 / 80.000 na América do Norte e Europa Ocidental. Ela ocorre mais freqüentemente após 55 anos de idade. Doença por aglutininas a frio se manifesta como aguda ou crônica anemia hemolítica, com palidez associada e fadiga. Sintomas durante as crises hemolíticas pode incluir dor nas costas, dor nas pernas, dor de cabeça, vômitos, diarréia, urina escura e hepatoesplenomegalia. Um ambiente frio ou uma infecção simultânea pode desencadear ou agravar a situação, e episódios de hemólise aguda com hemoglobinemia e hemoglobinúria são mais comuns no inverno. A doença pode aparecer de repente com anemia e hemoglobinúria, ou início pode ser mais gradual e insidiosa. Em alguns casos, o diagnóstico é feito por acaso em uma contagem de sangue padrão completo (CBC) detecção de aglutinação anormal das células vermelhas do sangue.

 

No responses yet

Diarréia crônica em adultos e crianças: Diarréia por deficiência a glicoamilase

Diarréia crônica devido a deficiência de glicoamilase. Infecção intestinal e diarréia em adultos e diarréia em crianças

A infecção intestinal e a diarreia crônica são sintomas que indicam um comprometimento intestinal por agentes nocivos ou por intoxicação ou intolerância alimentar.

A diarreia crônica na infância ou diarreia crônica na adolescência pode estar associada com a deficiência de glicoamilase intestinal. Para este tipo de diarreia crônica a  prevalência é desconhecida. Pacientes com diarréia crônica e deficiência de glucoamilase também pode exibir outras deficiências dissacaridases (sacarase, lactase e) e sinais de lesão da mucosa do intestino delgado (deficiência glicoamilase secundário). Nenhuma mutação no gene causador maltase-glucoamilase foram identificados até agora. Os pacientes geralmente respondem a uma dieta de amido livre.

Outras causas de diarreia crônica e de infecção intestinal pode ser encontradas neste site acessando a categoria infecção intestinal, diarreia, diarreia em crianças, diarreia crônica em adultos.

 

No responses yet

Diarréia intestinal: Infecção intestinal e diarréia sem uma causa aparente

Diarréia intestinal: Infecção intestinal e diarréia constante sem uma causa aparente

A diarréia é um sintoma de que o organismo está reagindo a uma situação não normal e que algo não está funcionando corretamente.

Sem pré em uma diarréia é necessário identificar as causas, pois esta pode estar relacionada a diferentes agentes.

A diarréia infecciosa demonstra que o mecanismo da diarréia pode não estar esclarecido completamente, em alguns pacientes não há dúvida que a bactéria invade a mucosa intestinal.

Há determinando de ulceração e diarréia mucossangüinolenta.

Entretanto, em alguns pacientes, a manifestação principal é diarréia aquosa, semelhante à causada por bactérias enterotoxigênicas, por produzir uma enterotoxina semelhante à enterotoxina termolábil (LT) de Escherichia coli.

A Resposta imunológica

Ocorre aumento dos níveis séricos de IgA, IgG e IgM. As primeiras a aparecer, são IgA e IgM (no sexto dia) e IgG aparece após 12 dias. Não se sabe se esses anticorpos promovem a eliminação desses microrganismos, mas há evidências que pode impedir o aparecimento de manifestações clínicas em muitos portadores desta bactéria.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo isolamento e identificação do germe. O

isolamento é feito em ágar-sangue e a identificação do Campylobacter jejuni

tem por base sua morfologia, características culturais e propriedades

bioquímicas. Foi demonstrado recentemente que a espécie pode ser

identificada por meio de aglutinação em lâmina, utilizando-se partículas de

látex, sensibilizadas com anticorpos contra os tipos sorológicos mais

freqüentes.

Tratamento

As infecções intestinais por Campylobacter geralmente curam

espontaneamente, entretanto quando a terapêutica for indicada, utiliza-se a

eritromicina. Porém, como existem amostras resistentes é conveniente

determinar a sensibilidade da amostra.

 

2 responses so far

Diarreia constante e infecção intestinal: Diarreia com fezes na cor verde, intestino solto e diarreia constante

Diarreia  e Infecção Intestinal: Fezes na cor verde com diarréia

A diarréia constante e a infecção intestinal são sintomas que o corpo produz para mostrar que algo não vai bem e que precisa ser tratado.

A diarréia com fezes na cor verde pode ser um processo de má aproveitamento metabólico, ou um processo de falta de absorção ou de ataque enzimático que ocorre na bile, impedindo o trânsito normal intestinal.

A Diarréia e o intestino solto decorre da intoxicação alimentar (giárdia e infecção por salmonela muitas vezes resultam em diarréia verde), infecção por rotavírus, alergia alimentar, intolerância à lactose, má absorção de frutose, a doença celíaca, doença de Crohn, colite ulcerativa e assim por diante.
DRGE (Doença do Refluxo Gastro-esofágico
A diarréia verde está ligada a um prejuízo da re-absorção da bile no intestino delgado
Os sais biliares são absorvidos no sangue, principalmente da parte final do intestino delgado (íleo terminal). Causas de deficiência bile re-absorção são:
1. Inflamação do intestino delgado, principalmente devido à doença de Crohn

2. remoção cirúrgica do íleo terminal

3. Ingestão de substâncias tóxicas

4. Ingestão de alimentos ou medicamentos como suplementos alimentares

Quando a diarréia está acompanhada de febre, constipação, perda de peso, ou mal-estar geral o médico deverá ser consultado para um diagnóstico mais apurado, pois uma doença grave subjacente podem estar presentes.

As crianças pequenas entre 6 meses e 3 anos de idade que bebem sucos  (especialmente suco de maçã) pode ter uma diarréia crônica “inexplicável” (que durou mais de duas semanas).

A Frutose açúcar das frutas presentes nos sucos de frutas, absorvidas no intestino delgado de uma criança pequena em quantidade excessiva, arrasta a água da parede intestinal na cavidade intestinal, causando diarréia.

Veja outros sintomas da diarréia, diarréia constante, diarréia excessiva, infecção intestinal, acesse estas categorias no site ou clique nos links desta página.

 

No responses yet

Older posts »