Dor pélvica ou Sindrome do Ovário Remanescente

 

Relaciona-se à dor pélvica após cirurgia ou laparoscopia

 

A Síndrome do Ovário remanescente (SRO) ocorre se houver tecido ovariano deixado após a cirurgia para remover ambos os ovários também chamada de salpingo-ooforectomia bilateral.

 

A síndrome ocorre quando este tecido ovariano provoca graves dor pélvica e / ou uma massa pélvica.A condição geralmente ocorre devido à técnica da cirúrgica utilizada para remover os ovários.

 

 

Embora seja considerada bastante rara, sua incidência parece ter aumentado nos últimos 40 anos, possivelmente relacionados ao aumento do uso de cirurgias laparoscópicas.


Alguns fatores aumentam o risco de remoção incompleta do ovário, incluindo uma história de endometriose, doença inflamatória pélvica, cirurgia pélvica ou abdominal anterior e aderências pélvicas.

 

Aderências são cicatrizes que acontece depois de cirurgia pélvica ou abdominal e de outros órgãos e tecidos.

 

Aderência torna difícil para o cirurgião identificar e eliminar completamente os ovários por causa do tecido fibroso que liga um ovário com as outras estruturas ou com o peritônio, a membrana que cobre o interior do abdome e da pelve.


Se algum tecido ovariano é deixada em sua pélvis, ele pode, em alguns casos, continuar a produzir hormonios.Os sintomas mais comuns da síndrome do ovário remanescente são constantes, dor pélvica crônica, difícil ou dolorosa relações sexuais, dor pélvica cíclica, dor ao urinar e evacuações.

A condição é diagnosticada com base em uma história clínica cuidadosa.

 

 

Um sinal de que pode haver residual tecido ovariano é se depois da ovários terem sido removidos, se você não começar imediatamente a terapia hormonal, ou não experimentar os sintomas menopausa, tais como ondas de calor.

 

Isto sugeriria que você pode estar continuando a produzir estrogenos.

 

Outra situação alternativa é se após a cirurgia, e tendo iníciado terapia hormonal, se foi interrompida por algum motivo, e ainda não esta sentindo esses sintomasO seu médico poderá também realizar uma ultra-sonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética para identificar qualquer tecido ovariano ou massa pélvica e medir os níveis sanguíneos para detectar alterações.

 

 


Se o seu médico encontrar tecido ovariano remanescentes, poderá ser tratados com medicação para suprimir qualquer função ovariana, a cirurgia para remover o tecido, ou, como último recurso, as radiações para destruir o tecido.
 

 

One response so far